sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Opinião | "A Vida no Campo", de Joel Neto


Título: A Vida no Campo
Autor(a): Joel Neto
Editora: Marcador
N.º de Páginas: 232 páginas
Edição: 2016

Classificação:  5 estrelas



Sinopse:
Um homem e uma mulher. Um jardim e uma horta. Dois cães. Ao fim de vinte anos na grande cidade, Joel Neto instalou-se no pequeno lugar de Dois Caminhos, freguesia da Terra Chã, ilha Terceira. Rodeado de uma paisagem estonteante, das memórias da infância e de uma panóplia de vizinhos de modos simples e vocação filosófica, descobriu que, afinal, a vida pode mesmo ser mais serena, mais barata e mais livre. E, se calhar, mais inteligente. 


Opinião:
Este livro despertou-me a curiosidade pela capa (muito bonita) e por ser de não-ficção. Os seguidores mais atentos do blogue conhecem o meu gosto por este género.

Já há algum tempo que leio maravilhas deste autor e do seu livro "Arquipélago" (que ainda não li). A minha estreia com o autor foi com A Vida no Campo. E foi uma excelente estreia. Fiquei rendida. A escrita é maravilhosa, real, honesta.

Este é um livro que se apresenta em forma de diário e dividido pelas estações do ano: Outono, Inverno, Primavera e Verão. O autor vai-nos contando o seu dia-a-dia na Ilha Terceira, onde vive.

É através daquilo que o autor nos conta o tipo de vida que, em família, decidiram ter. Uma vida tranquila, serena, desprovida do inútil, do que é demais. A vida agitada na cidade é substituída pela calma do campo. Uma região rica em emoções.

Através das suas histórias somos transportados para um lugar que parecemos conhecer tão bem. Conhecemos regionalismos, nomes próprios muito peculiares e próprios da região e algumas festividades açorianas.

Quero conhecer esta terra que já tanto ouvi falar e que nos transmite paz e serenidade. Talvez um dia.

Boas leituras.


Extra
Site do autor: www.joelneto.com


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Balanço Mensal - Novembro 2016 + Projecto "Ler Os Nossos"

 



As leituras deste mês foram exclusivamente dedicadas ao projecto da Cláudia Simões "Ler os Nossos". Ler autores portugueses era objectivo. Já fui mais activa em desafios de leitura, mas este senti que tinha de participar. Ler autores portugueses é algo que está constantemente na minha lista de leituras e de objectivos anuais.

Li ..... livros. Todas estreias. Foi um excelente mês.

E o vosso mês como correu?


Leituras
Tóquio Vive Longe da Terra, Ricardo Adolfo
Demência, de Célia Loureiro Correia
De nome, Esperança, de Margarida Fonseca Santos
A Vida no Campo, de Joel Neto (opinião em breve)
Nem Todas as Baleias Voam, de Afonso Cruz (opinião em breve)
Onde a Vida se Perde, de Paulo Ferreira (opinião em breve)




terça-feira, 29 de novembro de 2016

Opinião | "De nome, Esperança", de Margarida Fonseca Santos

Título: De nome, Esperança
Autor(a): Margarida Fonseca Santos
Editora: Oficina do Livro
N.º de Páginas: 172 páginas
Edição: 2011

Classificação:  3,5 estrelas




Sinopse:
Mulher reservada e inteligente, Esperança é uma pessoa perdida entre o que escreve e o que vê da realidade, o que viveu e o que desejou. Carlos é um enfermeiro estagiário de psiquiatria que decide, assim que a conhece, tudo fazer para resgatar Esperança rumo a uma vida normal, confrontando-se a cada passo com uma inquietação profunda: no coração da loucura, que espaço resta para a normalidade?

A resposta poder ser apenas que a mente é um lugar estranho. Entrar nos seus domínios é percorrer um labirinto interior de acesso, na melhor das hipóteses, restrito. Num livro em que as várias vozes e os vários tempos se cruzam num emaranhado de expectativas, pensamentos e ilusões, acompanhamos o percurso da Esperança, para quem só existe esperança no nome.




Opinião:
Decidi ler este livro depois de ter participado num workshop sobre "As Palavras". Como as usamos, em que momento as usamos e o que isso os outros e nós próprios. Admirei a sua palavra.

Esperança é o que este livro pretende representar. Esperança nos outros, em nós próprios. Mais um bom livro sobre demências, que não nos dá respostas, mas levanta questões.

O que mais me agradou foi a escrita da autora Margarida Fonseca Santos. É bem mais que uma histórias. São emoções que vemos descritas nas palavras da autora. 

Este livro é contado a várias vozes e em vários espaços temporais, o que pode causar alguma confusão no início. Mas após mergulharmos neste mundo é muito agradável.

Recomendo.


EXTRAS

Outras publicações da autora:
A autora Margarida Fonseca Santos tem diversas obras publicadas em Portugal, tanto na área da ficção, como na área da escrita criativa. Tem muitas outras publicações dedicadas ao publico infantil e juvenil. Deixo-vos apenas alguns exemplos.

Romances e Livros de Memórias


Publicações Infanto-Juvenis


outras publicações ver aqui.




quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Opinião | "Demência", de Célia Correia Loureiro


Título: Demência
Autor(a): Célia Correia Loureiro
Editora: Alfarroba Edições
N.º de Páginas: 400 páginas
Edição: 2011


Classificação:  5 estrelas



Sinopse:
No seio de uma aldeia beirã, Olímpia Vieira começa a sofrer os sintomas de uma demência que ameaça levar-lhe a memória aos poucos. A única pessoa que lhe ocorre chamar para assisti-la é a sua nora viúva, Letícia. Mas Letícia, que se faz acompanhar das duas filhas, tem um passado de sobrevivência que a levou a cometer um crime do qual apenas a justiça a absolveu.

Perante a censura dos aldeões, outrora seus vizinhos e amigos, e a confusão mental da sogra, Letícia tenta refazer-se de tudo o que perdeu e dos erros que foi obrigada a cometer por amor às
filhas. O passado é evocado quando Sebastião, amigo de infância de Olímpia, surge para ampará-la e Gabriel, protagonista da vida paralela que Letícia gostaria de ter vivido, dá um passo à frente e assume o seu papel de padrinho e protector daquelas três figuras solitárias…



Opinião:
Comecei a ler este livro e não o conseguia largar. Sempre que podia dedicava-me a ele. Era um vício. Terminei e pousei-o. Tinha que reflectir. Precisava de espaço e tempo para digerir a história. Não conseguia escrever nada. Não porque não soubesse o que dizer, mas como o fazer de um modo a incentivar a todos a lerem este livro.

Nunca tinha lido nenhum livro da autoria da Célia Correia Loureiro. Já há muito que a conhecia destas andanças do blogue. Não posso dizer que comecei tarde, pois nestas coisas da leitura vamos sempre a tempo de descobrir novos autores e novas histórias.

Um dos melhores livros que já li, quer em termos de escrita, quer na sua essência. A escrita da Célia agarra de uma forma bonita e simples. Envolve-nos na narrativa como ninguém, com a sua pureza nas palavras.

Um livro sobre o amor de mãe, as demências e como (não) lidamos elas, a vida no seu estado mais puro. Um livro que me tocou bastante, não pelo tema, mas por toda a sua envolvência.

Li, mas quero reler. Leiam-no também! Acho que não se vão arrepender.





segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Opinião | "Tóquio Vive Longe Daqui", de Ricardo Adolfo


Título: Tóquio Vive Longe da Terra
Autor(a): Ricardo Adolfo
Editora: Companhia das Letras
N.º de Páginas: 208 páginas
Edição: 2015

Classificação:  4 estrelas



Sinopse:
Fugi da terra à procura de mundos desconhecidos e novas versões de mim. Do outro lado do mundo dei com uma ilha onde me tornei num alien, shogun da noite, assalariado de dia e amigo de aluguer ao fim de semana. Cada dia mais perdido deixei-me ficar feliz.

Opinião:
Este livro foi a minha estreia com o autor Ricardo Adolfo. Há algum tempo que oiço falar dele e assim que tive oportunidade de ler este livro não hesitei. Os motivos? Fala da vivência do autor num país que me interessa, o Japão e porque gosto sempre de ler novos autores, sobretudo se forem portugueses.

Este é um livro muito fácil de ler, pois sentimos que estamos a ler um diário. Embora seja inspirado na vivência do Ricardo Adolfo em Tóquio esta é uma obra de ficção. Vivemos o dia-a-dia de um tradutor que se sente como um alien naquela sociedade tão diferente do seu país de origem. 

Um livro muito interessante, com um humor muito peculiar e uma leveza inesperada. Este não é certamente o único livro que leio do autor.

Gostei muito.





quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Passatempo # 3 | 3.º Aniversário | "Voo em Tons de Azul", de Eduardo Dinis | Chiado Editora

Mais um passatempo para comemorar o 3.º aniversário do blogue.

Desta vez é a Chiado Editora que nos oferece o livro Voo em Tons de Azul, de Eduardo Dinis. Um livro muito especial para mim. podem ver a minha opinião aqui.

Para participarem só têm que responder ao formulário e cumprir todas a regras de participação. O passatempo vai decorrer até ao dia 11 de Dezembro, às 23h59m.

Regras de Participação:
1. Só será permitida uma participação por pessoa;
2. É obrigatório ser seguidor público do blogue e fazer partilha do passatempo apenas no Facebook ou Google+;
3. É obrigatório colocar "Gosto" na página do blog "Jardim de Mil Histórias";
4. O livro será enviado por mim e não me responsabilizo por extravios dos CTT;
5. O vencedor será escolhido através do Randon.org;
6. O vencedor será anunciado aqui no blogue e contactado para o e-mail referido no questionário;
7. Apenas serão aceites participações com moradas de Portugal Continental e Ilhas.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Opinião | "Quando Éramos Mentirosos", de E. Lockhart


Título: Quando Éramos Mentirosos
Título original: We Were Liars
Autor(a): E. Lockhart
Editora: ASA
N.º de Páginas: 312 páginas
Edição: 2014

Classificação:  1 estrela


Sinopse:
E se alguém lhe perguntar como acabar este livro… MINTA.

A família Sinclair parece perfeita. Ninguém falha, levanta a voz ou cai no ridículo. Os Sinclair são atléticos, atraentes e felizes. A sua fortuna é antiga. Os seus verões são passados numa ilha privada, onde se reúnem todos os anos sem exceção.
É sob o encantamento da ilha que Cadence, a mais jovem herdeira da fortuna familiar, comete um erro: apaixona-se desesperadamente. Cadence é brilhante, mas secretamente frágil e atormentada. Gat é determinado, mas abertamente impetuoso e inconveniente. A relação de ambos põe em causa as rígidas normas do clã. E isso simplesmente não pode acontecer.
Os Sinclair parecem ter tudo. E têm, de facto. Têm segredos. Escondem tragédias. Vivem mentiras. E a maior de todas as mentiras é tão intolerável que não pode ser revelada. Nem mesmo a si. 

Opinião:
Este livro foi uma leitura conjunta com a Dora do canal do Youtube Book & Movies e com a Elisa. E foi única e exclusivamente por isso que não desisti desta leitura.

Este é daqueles livros controversos, em que vemos opiniões excelentes e outras não tão boas. Não é consensual. Mas também...qual seria a graça disso?!

Perdoem-me os seguidores que gostaram desta história, mas este livro não é para mim. Não gostei da escrita , com péssimas metáforas. Não gostei das personagens, nem do enredo. Não senti interesse em continuar a ler a não ser pela partilha que tive com as meninas.

Mas o que não é para mim pode ser para vocês. Arrisquem! Quem sabe se não gostam!

Boas leituras.